Esse post hoje vai ajudar você com a organização do seu Branding Pessoal. E porque eu digo organizar Branding Pessoal? Porque o Branding nada mais é do que organizar o que você deseja comunicar.

Sobre Branding Pessoal:

O Branding Pessoal é um PROCESSO que deve ser revisto sempre, ele é orgânico e vai mudando com o tempo.

Todavia, esse processo também serve como um exercício para enxergar a sua autenticidade. Pois através dele você consegue se perceber melhor e valorizar o que te faz único.

O que o Branding Pessoal não é:

Tão importante quanto entender o que é o Branding Pessoal, é entender o que ele não é. O Branding Pessoal, não é criar e nem inventar uma imagem. Na verdade, é organizar, para COMUNICAR o que você já é 🖤

Tudo em você comunica, a sua imagem, voz, linguagem, cores da sua marca, desing… Para comunicarmos a nossa mensagem de uma forma efetiva, precisamos organizar o Branding pessoal com a mensagem que desejamos falar.

Por isso, vou deixar aqui algumas dicas para ajudar você a organizar seu Branding Pessoal.

Dicas para organizar Branding Pessoal:

1. Qual é o seu story-telling?

Mais do que oferecer produtos e serviços, conte histórias! A sua história, trajetória, transformação, propósito, que construíram quem você é hoje. Saber contar isso é essencial! Fazendo uso do story-telling, você pode mudar a forma como as pessoas te veem. Desta forma, você pode demonstrar os seus valores e engajar com o seu público e com aqueles que se identificarem com a sua história.

2. Em qual arquétipo você se encaixa?

Ao definir uma estratégia para a sua marca, tudo deve ser pensado muito bem. Certamente os arquétipos, vão auxiliar você a definir e direcionar a comunicação e imagem do seu Branding Pessoal. O conceito dos 12 arquétipos, foi criado pelo psicólogo suíço, Carl Jung. Conforme o psicólogo, são eles: o herói, o fora da lei, o mago, o inocente, o explorador, o sábio, o tolo, o cara comum, o amante, o criador, o prestativo e o governante.

3. Qual é o seu manifesto e seu mantra?

O seu manifesto e o seu mantra, são usados para te posicionar de forma clara para todos, quais são suas crenças, valores, promessa… Manifestar o seu posicionamento é importante, pois demonstra clareza e ajuda a sua comunidade ou público alvo, a entender o que esperar de você. Desse modo, você começa a formar uma comunidade engajada, que se conectam com o que você defende.

4. Que tipo de líder você é?

Sem dúvida a forma que você lidera, vai falar muito sobre o seu Branding Pessoal. Por isso conheça a si mesmo, pois ao fazer isso é possível destacar suas potencialidades, e suas forças para se tornar um bom líder. Nesse sentido, líderes que se destacam, e conhecem a si mesmos, são capazes de transformar o ambiente em que vivem ou trabalham. Além disso, deixam legados que perduram por gerações.

5. Qual é a sua visão, missão, propósito e justificativa?

Esse deve ser um dos primeiros passos na organização do seu Branding Pessoal. Para descobrir esses itens, é necessário parar tudo, fazer uma análise, bem como olhar para dentro de si e descobrir a sua essência.

6. Quais são as suas crenças?

Pense em quais são suas crenças pessoais, de preferência liste-as. Como você pode demonstrar isso na sua marca pessoal? As suas crenças vão ser o seu diferencial, no momento em que for organizar seu Branding Pessoal.

7. Quais são as palavras que mais te representam?

Sabe quando você escuta uma frase, e automaticamente lembra de uma pessoa, filme, marca? Isso faz parte do Branding, ou seja, você fez uma associação. Desse modo, ter palavras que representam você e utiliza-las no seu Branding Pessoal, vão ajudar a criar conexão com quem lhe acompanha.

8. Pesquise seu público e persona.

Branding é relacionamento, está ligado diretamente ao comportamento das pessoas. Por consequência saber e entende o seu público alvo e com quem você deseja comunicar, vai auxiliar você a ser mais assertiva nas suas estratégias.

9. Quem seriam os seus haters?

Assim como vão ter pessoas que irão se conectar com as suas crenças, vão ter aqueles que chamamos de haters. Essas pessoas elas não vão se conectar com suas crenças. Porém, isso não é ruim, pois ajuda a identificar o que a sua marca é, e deixa de ser. Além de auxiliar a direcionar você nas suas decisões e também no que deve evitar.

10. Quais são seus concorrentes?

Conhecer os seus concorrentes e o que eles estão fazendo, ajudam você a se diferenciar deles. Um dos segredos do Branding Pessoal, é exatamente de distinguir dos seus concorrentes.

11. Qual é a sua voz e tom?

A sua voz e tom, expressão a sua personalidade. É importante que a sua voz e o seu tom, estejam de acordo com quem você é, e também com a mensagem que deseja passar. Ou seja, se você é uma pessoa mais séria e formal, sua comunicação deve seguir essa linha, para que as pessoas possam sentir isso de uma forma verdadeira. Quanto mais natural e mais autentico, a sua voz a o tom, mais as pessoas conseguem sentir isso e se conectar com você.

12. Quais são os ícones que te representam?

Escolher ícones que tem a ver com você, com a mensagem que deseja passar, é fundamental ao organizar seu Branding Pessoal. As pessoas tendem a fazer muitas associações, nosso cérebro é assim. Por isso, ter ícones, imagens que te representem, vão auxiliar a explorar os sentidos e experiências das pessoas em relação à você.

13. Quais são os seus rituais?

Os rituais vão auxiliar a sua comunidade associar a sua marca, com base nas repetições. Pode ser qualquer coisa, que tenha a ver com você e com a sua marca, que você faça diariamente. Esses rituais, podem ser replicados posteriormente, pela sua própria comunidade. Ou seja, isso vira mais um diferencial seu, algo que quando as pessoas for fazer, automaticamente vão lembrar de você.

Conclusão:

Organizar seu Branding Pessoal, é um conjunto de fatores, seu propósito, sua imagem, posicionamento… e tudo que citamos nesse artigo. Tudo está ligado de alguma forma, por isso é necessário cuidar de cada item, para que seu Branding Pessoal, esteja organizado de uma forma sólida e coerente.